3 dicas de análise SWOT para crescimento empresarial

Publicado 02/03/2022

Quem conhece um pouco de planejamento estratégico e ferramentas com certeza já ouviu falar sobre a relevância que a análise SWOT tem, já que se trata de uma metodologia fácil para estudar o ambiente interno e externo da empresa e identificar oportunidades de desenvolvimento.

A análise dos ambientes ajuda a obter respostas que apoiam os gestores a criar estratégias e planos de ação para o crescimento próprio e da marca. Para isso, os profissionais costumam criar uma tabela de análise SWOT com duas linhas e duas colunas, deixando as informações mais organizadas. Essa disposição é conhecida como matriz SWOT.

Contudo, antes de iniciar os processos da análise SWOT, é necessário entender o conceito e como utilizar a técnica. Além disso, é interessante verificar exemplos que podem ajudar os gestores a fazer a SWOT da empresa com mais qualidade e praticidade. 

Por isso, o artigo a seguir visa auxiliá-lo no processo de conhecimento do método de análise SWOT e como realizar a sua aplicação.

O que é análise SWOT?

Análise SWOT é uma abreviação das siglas em inglês: Strengths (forças), Weaknesses (fraquezas), Opportunities (oportunidades) e Threats (ameaças). Em português a sigla pode ser abreviada como FOFA.

Seu principal objetivo é ser uma ferramenta que contribui com a identificação da influência dos ambientes internos e externos sobre a empresa e suas características inerentes, de modo a traçar estratégias mais efetivas de posicionamento e resolução de processos. Ou seja, atua como um apoio para o desenvolvimento estratégico, ajudando a encontrar caminhos para o crescimento no mercado.

Algumas decisões são muito difíceis de tomar. Não é sempre que os gestores conseguem analisar os fatos racionalmente, principalmente quando há emoções envolvidas. Achismos e “feeling” não podem fazer parte da gestão de uma empresa, pois levam a erros.

Neste cenário, a análise SWOT ajuda a entender melhor as oportunidades, forças, fraquezas e ameaças existentes no ambiente e na empresa, permitindo uma decisão melhor apurada. Por isso, empresas de pequeno, médio e grande porte, independentemente da área, seja uma multinacional ou um pequeno empreendedor com um blog, podem utilizar a análise SWOT para organizar o planejamento e as estratégias de gestão. 

Isso é possível graças à estrutura simples que possibilita, por exemplo, que uma empresa de limpeza terceirizada possa incorporar a análise SWOT para o sucesso dos serviços prestados ou mesmo para avaliar uma oportunidade de expansão.

A análise fornece um diagnóstico não só dos concorrentes e do ambiente externo (ameaças e oportunidades), mas também como a sua empresa está diante do mercado (forças e fraquezas). Uma base sólida é importante para as empresas lidarem com a concorrência, pois isso pode determinar a sobrevivência ou não no universo corporativo.

Sendo assim, montar uma matriz SWOT, ou seja, uma tabela para cruzar as informações e assim criar estratégias adequadas para o negócio, se torna fundamental. 

O conceito de análise SWOT

Antes de ir para a parte prática, é importante entender o conceito por trás da ferramenta. Assim, no processo de incorporação, os gestores podem colocar em prática o conceito com mais facilidade e destreza.

O conceito de análise SWOT se divide em elementos internos e externos, como pode ser percebido. Ao pontuar as fraquezas e forças da empresa, os gestores estão fazendo uma análise do ambiente interno da companhia e suas características, este que, naturalmente, está sob o seu controle.

Os itens dessa análise, de uma forma ou de outra, podem ser moldados pelos profissionais da área em questão — seja ela uma empresa de automação residencial ou de venda de artigos para pets —, adequando-se às especificidades do setor e necessidades/demandas do local.

Já as oportunidades e ameaças estão relacionadas ao ambiente externo e ficam sob controle de outras empresas, mercado como um todo e aspectos como a economia, clima e política. Esses detalhes não podem ser controlados conforme o desejo dos gestores, que devem estar atentos às movimentações para tentar prever cenários ou identificar as flutuações para uma melhor tomada de decisão conforme adequações.

As empresas enxergam na análise SWOT um facilitador na criação e gestão de estratégias. Ou seja, essa metodologia tem um papel importante nos estudos de ambientes e oportunidades, pois ajuda a elencar e avaliar dados que podem influenciar diretamente no negócio e, consequentemente, na tomada de decisões importantes para diversos setores da empresa.

Para que serve e quais benefícios da análise SWOT?

Uma análise SWOT adequada exige que os gestores listem todas as forças, fraquezas, oportunidades e ameaças da empresa e verifiquem os pontos mais relevantes. O ideal é estabelecer três critérios principais em cada ação.

Com todos os dados reunidos, os profissionais podem visualizar cada cenário como se estivesse de fora da empresa, algo que colabora para a imparcialidade ao avaliar a situação e potenciais desdobramentos. Com isso, fica mais fácil tomar uma decisão mais acertada ou mesmo ter novos insights.

Já em relação às principais ganhos que a análise SWOT proporciona para negócios, eles valem para todos os ramos — de clínicas de saúde até a venda de embalagens delivery personalizadas. Alguns exemplos são:

  • Diagnóstico real da situação da empresa;
  • Construção de estratégias mais eficientes;
  • Promove a união da equipe;
  • Traz mais embasamento para a tomada de decisões;
  • Contribui para a definição de um plano estratégico efetivo;
  • Traz melhor entendimento dos fatores e influências internos e externos;
  • Possibilita expectativas mais realistas;
  • Promove adaptabilidade e flexibilidade (e é um sistema versátil também).

Como colocar a análise SWOT em prática?

análise SWOT

Ao conhecer o conceito e alguns benefícios, os profissionais podem iniciar a parte prática da análise SWOT. O primeiro passo é fazer um levantamento dos dados e selecionar os mais relevantes para a empresa. Por exemplo, entender se o seu nicho são garrafas de água personalizada com nome ou ração para pets, por exemplo.

Esse passo pode (e deve) ser feito em projetos individuais, setores ou empresas como um todo, promovendo um melhor uso da ferramenta e melhorias nos processos. Inclusive, como mencionado anteriormente, essa é uma ferramenta muito versátil, tendo aplicação em diversos segmentos do mercado e contribuindo até para o desenvolvimento profissional dos colaboradores. Ou seja, podem ser aplicadas em nichos diversos.

Para seu uso devido, contudo, é importante ter atenção aos elementos particulares do negócio (ou profissional) e seus impactos, sendo uma análise realista e detalhada, conforme os pilares da matriz.

O processo da matriz SWOT pode ser dividida em:

  • Definição das forças;
  • Listagem das fraquezas;
  • Enumeração das oportunidades;
  • Elencamento as ameaças;
  • Organização dos dados nas matrizes.

Entenda mais sobre isso abaixo:

1. Levantamento de forças, fraquezas, ameaças e oportunidades

Alguns gestores, mesmo conhecendo o conceito, podem ter dúvidas sobre os fatores internos e externos, ou então como organizar cada um destes dados na matriz. Uma dica que pode ajudar nesse processo é pensar nos fatores essenciais para o seu mercado. 

Uma empresa de ART para reforma de apartamento, por exemplo, pode listar fatores relevantes da área, como sua destreza para iniciar a reforma, a existência ou não de certificados especiais, ou mesmo o uso de determinada ferramenta e como aprimorar esse processo.

Um jeito de conseguir fazer este processo é analisando os concorrentes, olhando o que eles fazem e o que gera vantagem competitiva. Pense: o que a sua empresa faz que a coloca no patamar de concorrente ou de destaque?

Forças

São as vantagens, diferenciais competitivos e a qualificação das equipes de trabalho que a sua empresa tem e geram impactos positivos no seu plano de negócios.

A precificação, planos mais adequados e descontos para os clientes também são aspectos que podem compor essa esfera, bem como a qualidade dos produtos e serviços. Isso porque todos esses fatores podem ser controlados pela empresa. Quando tudo isso contribui ou representa um benefício para gerar satisfação, podem ser considerados uma força.

Para conseguir listar outros pontos que podem ser considerados forças do negócio, os gestores podem responder algumas questões como:

  • Por que os clientes voltam a comprar da empresa?
  • O que a empresa faz muito bem?
  • Qual o nível de engajamento da sua equipe e dos seus clientes?
  • Quais são os seus melhores recursos?
  • Qual o nível de força no mercado?

Fraquezas

A listagem de fraquezas feita pelos gestores costuma ser pequena. Ninguém gosta de ter mais erros do que acertos, mas é importante listá-los e ser sincero nesse processo para ter sucesso na análise SWOT.

Para conseguir listar todas as fraquezas, os gestores precisam conversar com chefes de departamento da empresa e com os clientes, desde os novos até os mais antigos. Isso pode ocorrer por meio de diferentes processos. Na conversa é importante debater questões como: 

  • Por que alguns clientes compram apenas uma vez e não retornam? 
  • Existem setores desmotivados na empresa? 
  • O que pode ser melhorado? 
  • Os funcionários são capacitados para as funções que ocupam?

Estas e outras questões relacionadas às fraquezas devem ser respondidas adequadamente. Com os resultados os gestores podem organizar melhor a matriz e, consequentemente, a qualidade dos serviços prestados na assistência técnica ar condicionado ou mesmo a venda de artigos eletrônicos.

Oportunidades

Nenhuma empresa pode prever o futuro, mas acompanhar tendências e mudanças comportamentais é algo importante no mundo dos negócios, conseguindo mensurar as mudanças de hábito e o potencial destino da marca para se manter competitiva.

Empresas que estão antenadas ao ambiente externo tem mais vantagens perante as companhias que focam apenas no ambiente interno. Isto posto, é importante acompanhar todos os movimentos do mercado, seja micro ou macro, conseguindo visualizar as oportunidades e mudanças que podem ser aplicadas.

Ameaças 

O levantamento das ameaças pode ser um processo muito delicado, mas é necessário para se preparar e evitar uma gestão desastrosa. Muitas empresas focam apenas no que os concorrentes fazem e que podem ameaçá-las. Nisso, se esquecem de estudar o mercado, algo que pode prejudicar a análise SWOT.

Algumas questões que é preciso considerar para levantar as ameaças adequadamente são:

  • Os produtos da empresa estão sendo falsificados?
  • Há novos competidores no mercado?
  • A mão de obra da empresa está despreparada ou escassa?
  • Novas leis que regulamentam o setor podem entrar em discussão?

2. Mapeamento e ranqueamento da SWOT

Após o levantamento de todos os dados, os gestores precisam fazer o mapeamento e ranqueamento das informações.

Um fator primordial para o sucesso de uma análise SWOT é saber interpretar os resultados. O sucesso na etapa do mapeamento envolve, também, um bom cruzamento de fatores e dados. Isso porque, ao cruzar os dados, os gestores conseguem criar planos de ações mais eficientes para a empresa, identificando, por exemplo, qual força pode ser aplicada para resolver uma ameaça.

Inclusive, as soluções podem ser bem diversas, desde a distribuição de brindes corporativos criativos até o desenvolvimento de um novo software. Por isso, é preciso estar aberto e deixar os insights fluírem.

Assim, entender como os fatores internos podem influenciar nos externos e qual a relevância de tudo isso é o caminho para uma boa análise. Desta forma, o cruzamento na SWOT pode se dar a partir de fórmulas como:

  • Forças + Oportunidades;
  • Forças + Ameaças;
  • Fraquezas + Oportunidades;
  • Fraquezas + Ameaças.

3. Análise dos resultados e criação de planos de ação

O momento decisivo da tomada de decisões é a análise dos resultados. Este processo ajuda a criar planos de ação eficientes, claros e realistas, atuando com embasamento, propriedade e agilidade.

Ter uma visão de curto, médio e longo prazo ao elaborar os planos pode ajudar os gestores a pensarem em ações mais apropriadas para os negócios de estabilizador 1000VA, ou qualquer que seja o ramo de atuação.

Portanto, criar uma análise SWOT para os negócios é muito importante para direcionar melhor os recursos, detectar riscos e incertezas, reduzir erros, ter mais solidez no planejamento e traçar metas realistas que contribuem para o sucesso das empresas.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Business Connection, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Assine nossa newsletter e receba nosso conteúdo em seu e-mail: