Os melhores serviços antifraude e como evitar problemas

Publicado 03/02/2021

Se você já definiu a sua plataforma de e-commerce e escolheu os meios de pagamento por onde vai receber, chegou a hora de escolher um bom sistema antifraude.

Quando não estão protegidas, as lojas virtuais são alvos fáceis para pagamentos fraudulentos, causando inúmeros prejuízos para os donos de negócios. Além do prejuízo financeiro, já que ao aceitar um pagamento falso você poderá ser responsabilizado financeiramente pela perda, ainda terá de lidar com o relacionamento com esse cliente.

Coloque na conta ainda a responsabilidade por todo o processo de estorno e o potencial impacto na reputação da sua empresa, pois é bem provável que o cliente se manifeste nas redes sociais e conte tudo o que aconteceu.

Felizmente, tudo isso pode ser evitado quando você tem um bom serviço antifraude à disposição! Vamos juntos entender tudo sobre esse assunto?

O que é antifraude

Antifraude é um conjunto de práticas e ferramentas que aumenta a segurança das lojas virtuais, protegendo-as contra transações fraudulentas. Mecanismos dotados de inteligência artificial, por exemplo, analisam os dados da compra e identificam possíveis tentativas de fraudes e golpes, bloqueando a transação.

Em toda transação digital, quando um usuário faz uma compra, as informações pessoais e do cartão de crédito são enviadas para duas empresas: a da bandeira e a instituição que emitiu o cartão. Ambas verificam os dados desse usuário. Quando as informações são validadas, a transação é autorizada. Se é identificado algum indício de fraude, como um comportamento diferente do usual, há recusa na autorização de transação. Quer ver um exemplo?

Digamos que você utilize o seu cartão de crédito com frequência, mas apenas em restaurantes. De repente, a compra on-line de um smartphone de R$ 5 mil acontece. A bandeira do seu cartão e a instituição que o emitiu vão achar esse comportamento esquisito. Nesse tipo de situação, algum profissional entra em contato confirmando a compra, para saber se é ou não uma tentativa de golpe.

Esse tipo de proteção é bem interessante, mas quando a loja online conta com um serviço de antifraude, mais uma camada de verificação é adicionada para proteger os usuários. Essa camada faz outra análise detalhada do comportamento da transação.

A análise ocorre por meio de tecnologias de inteligência artificial. Elas cruzam dados como as informações cadastrais do usuário, seu histórico de compras e de navegação, bem como padrões de comportamento e geolocalização. A partir dela, o antifraude atribui um grau de risco para a compra. Esse grau de risco é o responsável pela autorização ou não. Quando a transação é identificada como suspeita, é bloqueada automaticamente.

Mesmo com essa camada extra de proteção, o antifraude não garante 100% de proteção contra tentativas de golpe, pois os criminosos vêm buscando cada vez mais alternativas. No entanto, o antifraude é uma ferramenta indispensável na redução de ocorrência de fraudes, pois contribui para a segurança das vendas.

O que a LGPD diz sobre a proteção de dados do e-commerce

Como evitar fraudes com um sistema antifraude

Diante da necessidade de manter os dados dos usuários de internet a salvo no ambiente digital, foi estabelecida a Lei Geral de Proteção de Dados, conhecida pela sigla LGPD. Algumas resoluções da Lei Geral de Proteção de Dados se aplicam ao comércio eletrônico, ambiente em que a cibersegurança é essencial para transmitir confiança ao usuário e permitir a compra de produtos e serviços.

A LGPD vem para suprir uma necessidade cada vez mais frequente da população. Muitas empresas vêm tendo acesso a dados jamais fornecidos a elas pelos usuários. Dados são coletados de diversas maneiras, do tradicional cadastro aos famosos cookies. Entretanto, eles passaram a ser compartilhados sem autorização.

A Lei Geral de Proteção de Dados tem como objetivo mostrar aos usuários como determinada empresa lidará com seus dados após a compra de um produto ou serviço. Ela muda a maneira como os dados dos clientes são tratados, pois tem o objetivo de coibir o uso indiscriminado deles. Desse modo, o cliente passa a ter o direito de saber dessas empresas que uso será dado aos seus dados.

Diante dos riscos, é natural que busquemos soluções. No comércio eletrônico, os principais lojistas e especialistas do segmento investem muito tempo e recursos para otimizar suas barreiras de segurança.

Há diversas formas de proteger os dados dos usuários de um e-commerce. No entanto, mais do que ter mecanismos de defesa, é dever escolher bons parceiros de negócio neste sentido, com o objetivo de fornecer um serviço seguro e de excelência aos consumidores finais.

Os tipos de fraude e como evitá-las

Antes de falar sobre como minimizar riscos e proteger a sua loja virtual de fraudes, é importante que você entenda quais são as práticas fraudulentas mais comuns no mercado:

  • Fraude efetiva: nesse caso, a compra é realizada normalmente com cartão de crédito roubado ou clonado. Sem perceber a fraude, o lojista realiza todos os trâmites para a entrega do produto. Porém, assim que o titular do cartão percebe uma cobrança indevida, solicita o estorno do valor. Com o produto já entregue, o comerciante acaba por ter que arcar com esse prejuízo.
  • Auto fraude: nesse tipo de fraude, a má fé parte do cliente que realiza a compra normalmente, mas depois de receber a mercadoria, entra em contato com o lojista informando que não efetuou aquele pedido e exigindo estorno do valor cobrado em sua fatura. Nesse tipo de situação, se você conseguir levantar provas consistentes de que a fraude existiu, o “cliente” perde seus direitos e torna-se responsável pela compra.
  • Fraude amigável: aqui, uma pessoa próxima ao titular do cartão (como o filho ou marido) compra algum produto sem que ele saiba. Sem saber da compra, o titular do cartão acha que a cobrança é indevida e contesta a transação.

A melhor forma de evitar qualquer uma dessas fraudes é por meio de sistemas antifraude para lojas virtuais. Eles são os mecanismos que garantem que os pagamentos sejam recebidos com bastante segurança, tanto para a sua loja quanto para o seu cliente, já que eles atuam intermediando as transações e analisando irregularidades nos padrões de compras dos titulares dos cartões.

Quais são os melhores serviços antifraude e como eles funcionam?

Existem no mercado diferentes ferramentas eficazes para o controle antifraude. As melhores soluções do mercado são as que se utilizam de redes neurais e de outras técnicas de inteligência artificial para analisar as informações fornecidas pelo cliente no fechamento do pedido e decidir se autorizam ou não a compra.

Os sistemas de serviços antifraude funcionam a partir de alguns gatilhos:

1. Validação de código de segurança dos cartões de crédito

Na finalização da compra, o sistema solicita a inserção daquele código que está atrás do cartão — número que representa um dado a mais na hora de comprovar se o cartão é verdadeiro.

2. Rastreamento dos dispositivos de compra

O sistema faz uma análise da geolocalização da pessoa que está comprando para verificar se a mesma não está em um país ou região que pode ser considerada suspeita. 

3. Registros em bancos de dados

A tecnologia antifraude faz uma comparação de informações disponíveis relacionando o perfil do seu cliente (como histórico e padrão de compras) disponíveis nos arquivos da sua empresa, do sistema antifraude ou mesmo de outras empresas. Se os dados forem significativamente diferentes, a transação é negada por probabilidade de fraude. 

4. Validação de endereço

O sistema compara os dados inseridos pelo cliente (como endereço de entrega) com os disponíveis no banco de dados da operadora do cartão e do banco.

5. Definição de grau de risco na venda de um produto

As melhores ferramentas também permitem que se defina o grau de risco na aquisição de determinados produtos, como por exemplo, itens mais caros (celulares e computadores). Assim, de acordo com a probabilidade de fraude do produto em questão, o sistema aumenta o grau de risco de venda e fica mais sensível à avaliação do comportamento do comprador.

As vantagens do antifraude para o e-commerce

Quais são os melhores serviços antifraude e como eles funcionam?

De modo geral, você viu até aqui que o antifraude contribui para aumentar a segurança da sua loja virtual, pois faz a proteção desse serviço e dos clientes contra fraudes e golpes. Brevemente, falamos também dos impactos de uma fraude nos negócios, como perdas de dinheiro e mercadorias. Porém há outros benefícios além destes.

Para entender todas as vantagens do antifraude para o e-commerce, listamos a seguir as principais:

Reduz prejuízos financeiros

Essa é uma das principais vantagens do antifraude: reduzir prejuízos financeiros para o seu negócio. E, convenhamos, a preocupação financeira é o que impacta — e move — todo e qualquer negócio!

Imagine que uma pessoa tem seus dados roubados e só percebe que isso aconteceu ao receber uma cobrança indevida na fatura do seu cartão, ou seja, após o fraudador ter realizado e recebido a compra. Todo mundo perde! Você, lojista, perde os produtos e ainda terá que devolver o valor cobrado para o dono do cartão, ou seja, arca sozinho com o prejuízo.

Mas quando fraudes como essa são evitadas, por meio de prevenção, gastos assim são reduzidos, portanto, há uma contribuição para a saúde financeira do seu negócio.

Diminui o seu índice de chargeback

Chargeback é o processo de contestação de uma compra, ou seja, quando o usuário alega não reconhecer determinada transação e solicita ao banco a devolução do valor cobrado.

Fraudes no comércio eletrônico aumentam o índice de chargeback, pois os usuários são lesados pelos golpes. Entretanto, quando o volume de chargeback de uma loja online é alto demais, isso pode acarretar problemas para o seu negócio.

É que um índice alto demais gera advertências, multas e até descredenciamento junto às bandeiras de cartão, afinal, elas entendem esse ambiente como inseguro. Assim, a sua reputação estará em jogo.

As duas maiores bandeiras de cartão que operam em nosso país, Visa e Mastercard, possuem programas que acompanham de perto as empresas com alto chargeback. Elas estabelecem um determinado número de contestações por mês e penalizam os negócios que frequentemente ficam acima dos limites considerados aceitáveis. Vale ressaltar que, aqui, estamos falando de políticas internas.

A partir do instante em que você ajuda a prevenir fraudes na sua loja online, o antifraude atua como agente na diminuição da sua taxa de chargeback. Isso evita maiores complicações, como o descredenciamento com as grandes bandeiras de cartão e a perda de clientes.

Oferece segurança para seus consumidores

A proteção do seu e-commerce é muito importante, mas o antifraude a estende para os seus consumidores. Esse tipo de conjunto de boas práticas e ferramentas de segurança bloqueia transações suspeitas, portanto, protege os usuários de tentativas de fraude.

A segurança dos consumidores é essencial para proporcionar uma boa experiência de compra em sua loja, bem como aumentar a percepção da sua marca como segura e confiável no mercado. Se uma loja notifica o usuário de possíveis fraudes, é possível se antecipar e bloquear o cartão, por exemplo. Além de proteger seu público, você ganha reputação e credibilidade — sem contar no marketing de divulgação indireto que acontecerá, com esta pessoa em questão falando sobre o caso e divulgando sua marca.

Aumenta a praticidade do seu negócio

É fato que as análises automáticas do antifraude aumentam a praticidade, a eficiência e a agilidade na rotina de trabalho do seu e-commerce. Esse tipo de solução dispensa análises manuais em cada transação, com a finalidade de encontrar atividades suspeitas. Além disso, diminui a quantidade de burocracias e de problemas decorrentes de fraudes e pedidos de contestação.

A maior segurança oferecida pelo antifraude viabiliza serviços como compra com um clique, no qual o cliente deixa seus dados do cartão pré-cadastrados e realiza aquisições de modo rápido e prático.

O sistema antifraude na prática

Atualmente, boa parte das plataformas de e-commerce ou dos gateways de pagamento já vêm com um sistema antifraude incluso. Isso quer dizer que se você optar por opções seguras de plataforma, que já oferecem ferramentas de verificação de fraude, dificilmente arcará com os problemas do tipo.

Porém, se você estiver enfrentando fraudes mesmo com sistemas antifraude próprios na plataforma ou no gateway, é uma boa ideia contratar uma empresa externa para efetivar uma checagem dupla das suas transações.

O mesmo acontece quando você constrói uma plataforma do zero, seja com código próprio ou com alguma estrutura já disponível no mercado, como Magento ou WooCommerce. Será necessário contratar um sistema antifraude à parte para garantir a sua segurança e a dos seus clientes.

Ressaltamos que a escolha de uma boa plataforma e de um bom sistema antifraude para sua loja virtual são passos essenciais para a segurança das suas operações e consequentemente, para o sucesso do seu empreendimento.

Nossa sugestão de prestador para este serviço é a ClearSale. Confira abaixo um vídeo sobre a empresa:

Como escolher um sistema antifraude para e-commerce

Agora que você sabe como funciona um sistema antifraude na prática, é importante conhecer os fatores que devem ser observados para uma escolha certeira. Nós listamos os principais a seguir:

Custo

O preço pago pelo sistema antifraude é, de modo geral, baseado na quantidade de análises feitas. Dessa forma, seu custo varia de acordo com o número de transações realizadas em sua loja virtual.

Esse valor muda de fornecedor para fornecedor, portanto, vale a pena pesquisar diferentes empresas para identificar aquela com o valor mais próximo do seu orçamento, mas que atenda às necessidades do seu negócio.

Confirmação de dados

Outro fator que deve ser observado no sistema antifraude é a função de confirmação de dados, precisamente aquela citada no exemplo da compra do smartphone. Ou seja, quando há um contato com o cliente para que seja feita a confirmação dos dados.

Quando a confirmação é feita e está tudo bem, o processo de compra tem continuidade. Se é identificada a fraude, ela não é feita.

Pouca interação com o usuário

Um bom sistema antifraude conta com recursos de inteligência artificial. Eles proporcionam o mínimo de contato com o usuário, evitando constrangimentos.

Isso é importante para que não seja criada uma atmosfera de constante desconfiança, algo que pode afastar o consumidor do seu negócio, estimulando-o a desistir.

Identificar alterações nos cadastros

Também é importante que a ferramenta antifraude tenha a capacidade de identificar mudanças nos endereços de entrega dos seus clientes. Esse tipo de mudança pode indicar fraude, portanto, merece atenção.

Toda vez que um cliente alterar o endereço de entrega ou realizar mudanças nos dados cadastrais, é essencial que seja enviada uma confirmação por e-mail ou outro contato, como envio de código por SMS.

Compatibilidade com a plataforma de e-commerce

O último fator que deve ser avaliado na escolha do sistema antifraude é a compatibilidade entre ele e sua plataforma de e-commerce. As duas soluções devem funcionar em parceria, permitindo a sinergia que protege a loja e os dados dos clientes. 

O ideal é que esse tipo de software seja incorporado à plataforma de e-commerce, permitindo assim a geração de dados e consequentes relatórios. Desse modo, é mais eficiente o combate às tentativas de fraude.

As fraudes existem e, infelizmente, há pessoas mal-intencionadas que buscam formas de aplicar golpes por aí. Sendo assim, o investimento em um sistema antifraude é fundamental para evitar situações assim e proporcionar uma boa experiência de compra ao seu cliente.

Agora, o próximo passo é definir o estoque do seu e-commerce. Se o seu desejo é investir neste processo, confira nosso post especial sobre o assunto clicando aqui!

Assine nossa newsletter e receba nosso conteúdo em seu e-mail: