Cobertura de estoque: o que é, como calcular e sua importância

Publicado 25/02/2022

Você sabia que a maior causa para alguém dar errado no varejo é a alta cobertura de estoque ao longo do tempo?

A cobertura de estoque é um índice utilizado pelas empresas varejistas para medir o tempo de estoque dos seus produtos. Em outras palavras, significa o tempo que os produtos levam para sair do estoque.

A loja que trabalha com diversos produtos deve ter um controle de tempo para que suas mercadorias não sumam das prateleiras físicas ou virtuais. Só que, ao contrário do que muitos pensam, um estoque constantemente cheio não é a solução.

Esse índice é extremamente importante para quem busca uma gestão eficiente, sem perdas. Ele pode ser aplicado em qualquer tipo de varejo, independentemente do que vende ou do seu porte.

Vem com a gente entender o que é cobertura de estoque, como calculá-lo e sua importância tanto em lojas físicas quanto virtuais!

O que é cobertura de estoque?

Como você viu na introdução deste artigo, a cobertura de estoque é o índice que mede o período de tempo do estoque de um produto no seu varejo, ou seja, o quanto ele demora até sair desse estoque.

Trata-se de um índice que te ajuda a saber se o produto cobrirá todas as demandas futuras ou se haverá necessidade de reabastecimento. É fundamental para a organização da gestão de estoque, pois ele ajuda a evitar perdas que causem problemas financeiros — sejam eles pequenos ou grandes.

Até aqui, você deve estar se perguntando: a solução seria um estoque bem abastecido para suprir meses de demandas? Nem sempre!

O estoque de uma loja como a sua é parte do capital de giro, só que está representado sob a forma de mercadorias. Em português claro, é dinheiro! Se estiver parado por muito tempo, então é dinheiro parado. E dinheiro parado é sinônimo de dinheiro sem investimento, de capital que poderia estar se tornando uma obra feita, a compra de equipamentos melhores ou até um fluxo de caixa mais leve.

Quanto maior o estoque for, maior será o capital de giro para mantê-lo. Tenha em mente, portanto, que cada pecinha parada no estoque teve um custo de aquisição, porém tem ainda custos de manutenção.

Ter o estoque em si não é um problema. A questão aparece quando há um estoque que gera um alto custo de manutenção. É necessário, por exemplo, investir em mais limpeza, mais precificação, além do custo incalculável que é a demora para encontrar o que se deseja.

Para o consumidor, é sempre bom entrar em uma loja e encontrar o que procura. No entanto, se o volume de vendas do item não é alto, uma série dele ficará parada no armazém ou gôndola, sem gerar receita para o negócio. Quando se trata de coisas perecíveis, como alimentos ou medicamentos, isso pode ser mais grave ainda. A demora em estoque causa perdas e produtos descartados.

Porém também acontece um problema quando não há o produto buscado pelo consumidor. E agora?

Um gestor eficiente deve prever suas vendas para evitar os extremos, ou seja, a não concretização da venda pela falta do produto e o aumento do custo de manutenção porque ele fica parado muito tempo na gôndola ou estoque.

A solução está no cálculo da cobertura de estoque! Confira abaixo como realizar estas contas.

Como calcular a cobertura de estoque?

Para calcular a cobertura de estoque de sua loja, o primeiro passo é saber a média de vendas do produto em questão. A equação é:

Infográfico apresenta o cálculo da média de vendas dos produtos, indicando a mesma equação que está abaixo da imagem.

Itens Vendidos / Número de Dias = Média de Vendas

Se você vendeu 60 itens em um período de 20 dias, significa que sua média de vendas é de 3 itens por dia.

Depois de ter esse número em mãos, prepare-se para fazer o cálculo da cobertura de estoque. A equação é:

Infográfico apresenta o cálculo da cobertura de estoque, indicando a mesma equação que está abaixo da imagem.

Média de Vendas / Estoque = Cobertura de Estoque

Digamos que você tem 150 unidades do produto em questão — esse que é vendido a uma média de 3 por dia. O cálculo, portanto, será o de dividir as 150 unidades pela média de vendas:

Média de Vendas = 3

Estoque = 150

150 / 3 = 50

Cobertura de Estoque = 50 dias

O resultado do cálculo significa que, se as vendas permanecerem no mesmo ritmo, você terá 50 dias de cobertura de estoque.

Qual a minha cobertura de estoque ideal?

O mercado trabalha com dois tipos de cobertura de estoque. São elas:

Cobertura de estoque 3

Essa cobertura de estoque significa ter armazenado três vezes o que espera ser vendido no período desejado. Ela é ideal para os produtos que não estão disponíveis a pronta entrega.

Cobertura de estoque 2

Já essa cobertura de estoque significa ter armazenado duas vezes o que espera ser vendido no período desejado. Ela é ideal para os produtos que estão disponíveis a pronta entrega.

Vamos para a prática? Se você deseja vender R$ 100 mil e vai trabalhar no padrão de mercado 2, deverá ter uma cobertura de estoque de R$ 200 mil. 

E quando a cobertura está acima de 3?

A alta cobertura de estoque, ou seja, de 4 para cima, significa muito estoque para pouca venda. Talvez ele não esteja adequado ao seu público ou uma cobertura tão grande que o item fica defasado e não desperta o interesse do cliente. Se você deseja trabalhar com ele, é preciso ter muito cuidado e um controle redobrado.

Quando a cobertura de estoque é inferior a 2, fica o ponto de atenção para não perder vendas. 

Quais são os impactos do cálculo da cobertura de estoque?

É fato que a disponibilidade do produto contribui para fidelizar o cliente, pois faz com que seja encontrado no momento da procura. No entanto, para cumprir essa demanda, você viu que é necessário ter total domínio, tanto do estoque quanto da movimentação dos produtos.

Esse domínio permite alcançar o planejamento adequado das reposições, otimizando o modo de gerir os fornecedores a partir do instante que considera uma margem de segurança para o estoque.

A cobertura de estoque, nesse sentido, se destaca no âmbito de gerenciamento interno dos produtos e agrega uma série de vantagens para o seu negócio. Nós separamos esses impactos e listamos a seguir:

Corte de gastos desnecessários

Permanecer com o estoque abarrotado por muito tempo é uma despesa desnecessária. Isso porque aquela quantidade de produtos empilhados precisa de limpeza e organização, então consome uma fatia do seu orçamento.

É, portanto, fundamental identificar os valores que são pagos sem necessidade, principalmente na loja em que há um alto volume de mercadorias em circulação. Trata-se de um desafio recorrente. Ninguém aqui quer prejuízo, né? Sendo assim, é bom aproveitar as possibilidades levantadas a partir da cobertura de estoque.

Quando você mantém atualizado esse índice, cria uma importante base de dados que pode ser utilizada para gerar informações relevantes, dentre elas:

  • Itens comprados com frequência;
  • Volumes desnecessários.

Otimização das vendas

Quando você faz uma boa gestão de estoque, consequentemente aperfeiçoa os meios para vender e aumenta tanto o faturamento quanto a lucratividade.

Esse é o resultado que todo varejista busca, pois melhorar o desempenho de vendas ou tornar o atual mais rentável faz com que o negócio se mantenha na ativa, consolidado.

A questão é que esse processo não é simples, justamente por envolver pontos como a diminuição dos custos, a otimização da equipe e a criação de uma força de vendas eficiente, dentre outros.

A cobertura de estoque contribui com um bom domínio sobre a sua reserva de produtos. Permite ainda obter maior rentabilidade, ampliando a vantagem competitiva por meio de agilidade, automação e organização.

A otimização das vendas faz com que certas situações recorrentes deixem de acontecer, como perder vendas grandes por estoque insuficiente ou custos extras pelo acúmulo de produtos em estoque.

Melhora na qualidade do serviço prestado

É a consequência dos pontos citados anteriormente, pois a disponibilidade correta dos produtos contribui para cumprir expectativas, promessas e prazos. Desse modo, há mais chances de o cliente ter uma boa experiência de compra.

A experiência de compra, nesse quesito, é essencial para uma possível fidelização. Trata-se de fechar negócio e ter prazer naquele momento, permanecendo com uma sensação positiva de que tudo ocorreu bem.

Conhecer o lead time e a variabilidade de demanda

O lead time, em compras, diz respeito ao tempo total que um produto leva para ser entregue ao consumidor final, desde seu pedido. Trata-se de um dado que contribui muito para a melhora da qualidade do atendimento.

Por meio dele, você tem como planejar todos os trâmites de compra com os fornecedores e, desse modo, garantir o fluxo das operações. Sendo assim, quanto mais baixo for o valor, melhor será seu atendimento ao público.

A partir do cálculo da cobertura de estoque e do lead time, você tem o controle e domínio do estoque, evitando que os itens fiquem parados ou simplesmente estejam indisponíveis para o consumidor.

Os itens mais pedidos estarão sempre disponíveis, diminuindo o tempo de espera de quem compra, pois não há a necessidade de aguardar reposições.

A variabilidade de demanda, que é o nível de procura dos produtos, acaba sofrendo influência de fatores como preço, qualidade de atendimento, autoridade da marca, campanhas de marketing, ações promocionais e outros.

Note que a cobertura de estoque contribui na previsão da variabilidade da demanda, reforçando o posto competitivo de sua loja no mercado.

Quais são as boas práticas para a cobertura de estoque?

Até aqui, você viu o principal benefício da cobertura de estoque para seu varejo. Significa, portanto, que a utilização correta desse índice é capaz de traçar um caminho rumo a outras vantagens.

Para saber quais são e como alcançá-las, listamos algumas boas práticas que devem ser adotadas. Confira:

Busque valores mais precisos

Quando o assunto é projeção para o futuro, é verdade que há a impossibilidade de ter valores precisos de cada indicador. Mas isso não significa o fim.

Uma boa prática é a utilização de médias anteriores para criar projeções, mesmo que com alguma margem de erro. Com o tempo e uma amostra maior, a estimativa tende a se aproximar de um valor próximo da realidade

Para calcular a cobertura de estoque, mantenha pelo menos 2 ou 3 casas decimais em cada média. Evite também utilizar números sem um bom embasamento. Garanta essa precisão para tomar decisões mais acertadas.

Considere múltiplos resultados

Por mais que não seja possível obter uma previsão exata de qualquer cenário futuro, ainda mais quando os prazos são mais longos, é importante saber lidar com resultados diferentes.

Estabeleça, portanto, uma margem de erro para os valores estabelecidos e tenha um plano para cada cenário. Isso permitirá a otimização do seu rendimento, independentemente do resultado obtido.

Invista em tecnologia para fazer a gestão de estoque

Sabe quem deve ser sua maior aliada na gestão de estoque? A tecnologia. Invista em um sistema capaz de acompanhar a movimentação e calcular a cobertura, proporcionando estimativas com mais facilidade.

Dependendo da ferramenta escolhida, ela pode permitir o acesso dos dados a partir de qualquer lugar — caso dos sistemas online, que guardam as informações em servidores externos.

Os softwares de gestão contribuem para a expansão de negócios como o seu, pois otimizam a rotina da gestão e automatizam tarefas. Em outras palavras, facilitam bastante seu trabalho.

Escolha um bom software de gestão para ter o controle adequado da cobertura de estoque, evitando problemas capazes de ocasionar prejuízos aos seus resultados.

Tenha sempre em mente que tanto o excesso quanto a falta de produtos são situações que afetam negativamente seu capital.

Como implementar esse índice em seu varejo?

Como implementar a cobertura de estoque no seu varejo

Conforme você viu no tópico anterior, é importante investir em tecnologia para fazer uma boa gestão de estoque. Nesse sentido, a cobertura pode ser feita por meio de ferramentas digitais, como os softwares.

Para quem trabalha com poucos SKUs e ainda não consegue investir em um software, a dica é utilizar uma planilha de cobertura de estoque.

Essa dica não se aplica às lojas que trabalham com muitos SKUs, pois a cobertura de estoque de cada um demanda mais atenção. Sendo assim, a implementação deste índice deve se dar por meio de um ERP.

O ERP, ou Enterprise Resource Planning, é um sistema de gestão integrado que auxilia o gestor do negócio a melhorar seus processos. Uma de suas funções, quando é voltado para o varejo, é a cobertura de estoque.

Existe diferença entre cobertura de estoque e giro de estoque?

O giro de estoque e a cobertura de estoque são conceitos fundamentais quando o assunto é gestão de estoque. Só que não podemos confundi-los.

O giro de estoque é um medidor de desempenho que demonstra a quantidade de vezes que determinado item foi renovado em certo período, ou seja, quantas vezes houve venda e reposição. Guarda aí: ele é a soma de tudo que foi vendido, dividido pela média do estoque no período escolhido. O resultado indica o seguinte: quanto maior for o giro, melhor.

Já a cobertura de estoque, como você viu ao longo deste artigo, é o índice que mede o tempo que o estoque consegue cobrir demandas futuras, sem a necessidade de suprimento.

Quais as vantagens de fazer uma boa gestão de estoque?

Existe uma série de vantagens em aplicar boas práticas na gestão de estoque. Vamos conhecer as principais:

Aumento das vendas

O gerenciamento ativo do estoque permite um controle preciso em relação à capacidade de ofertar produtos. A consequência disso é o aumento das vendas, pois não há quebra de estoque nem itens parados por muito tempo.

Transparência nas informações

A transparência nas informações é essencial para se obter os dados necessários para calcular a cobertura de estoque e gerenciá-la. Saber quantos são retirados, embalados e enviados contribui para uma gestão prática e objetiva.

Diminuição nos custos

Boas práticas de gerenciamento de estoque possibilitam melhores resultados e diminuição de custos. Em outras palavras, sobra mais dinheiro para investir!

Melhora no desempenho de entrega

Uma boa gestão de estoque permite que o inventário seja atualizado em tempo real, melhorando o fluxo de mercadorias entregues para os clientes.

Colaboradores mais produtivos

Essa produtividade se dá porque o bom gerenciamento do estoque agiliza o trabalho de todos. 

Planejamento preciso

Trata-se de uma importante vantagem competitiva, pois seu negócio estará sempre à frente dos demais por ter a quantidade certa de itens disponíveis. Tome decisões mais rapidamente e com precisão a partir de um planejamento eficaz.

Estoque do tamanho ideal

Os varejistas que gerenciam ativamente seu inventário têm uma redução média de 10 a 25% no tamanho do estoque, alcançando a quantidade ideal.

Aumento na fidelização do cliente

Quando sua loja se torna mais precisa e eficiente, seus clientes percebem e passam a comprar ainda mais. Isso ocorre porque é criada uma relação de confiança entre as partes.

Alta rotatividade no estoque

A alta rotatividade no estoque é fundamental para que funcione uma dinâmica nesse seu espaço, para evitar o acúmulo desnecessário ou a falta de mercadorias. Ela permite a aposta em produtos mais lucrativos e com saída constante.

Viu como a cobertura de estoque é importante? Ela fornece dados fundamentais para o controle das suas vendas e, consequentemente, para a sua gestão.

Receba outros artigos sobre o tema! Basta assinar a newsletter do blog da Arcana no campo abaixo.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Assine nossa newsletter e receba nosso conteúdo em seu e-mail: