O que é giro de estoque? Entenda o cálculo

Publicado 16/02/2021

Ter estoques de matéria prima e produtos é algo que o homem já faz desde a antiguidade. Com o estoque de alimentos e outros produtos, foi possível sobreviver a secas, invernos rigorosos, guerras e outras dificuldades enfrentadas na época.

Mas, para que um estoque seja útil, é preciso ter um bom giro de estoque e fazer uma boa gestão do e do fluxo de materiais, que consiste no rastreamento de cada produto, sabendo de onde ele veio, onde se encontra e para o que está destinado, assim como, tempo máximo que deve permanecer armazenado.

O Sebrae defende que o giro de estoque é um dos indicadores mais importantes do varejo, e deve ser levado a sério pelos administradores de lojas físicas e virtuais.

Um estoque bem estruturado auxilia na venda ao permitir que o produto esteja disponível e seja facilmente encontrado pelo vendedor. Além disso, ele auxilia também no setor financeiro, já que uma boa gestão de estoque inibe a perda de produtos, seja por avaria, furto ou até mesmo esquecimento.

Quando os produtos começam a faltar ou encalhar no estoque é um sinal de que há falha ou falta de gestão. Um estoque saudável é aquele que permite atender as necessidades do público sem gerar custos extras desnecessários. É importante lembrar que o estoque é o capital da loja, por isso deve ter uma gestão eficiente e assertiva. Dessa forma, o giro de estoque acontece e a renovação das mercadorias é possível de tempos em tempos.

Lembre-se de que o seu estoque nada mais é do que o seu dinheiro, investido em produtos.

Como manter um estoque saudável?

Mas como manter um estoque saudável?

Para que a gestão de estoque seja bem sucedida é preciso ter em mente quatro importantes fatores que são determinantes na hora de planejar e manter um estoque saudável:

  • Área física: A quantidade e qualidade dos produtos a serem estocados dependem do tamanho do espaço e de suas características, como temperatura, luminosidade e umidade.
  • Volume: Para saber a quantidade de produtos a serem estocados, é preciso fazer uma avaliação do fluxo de vendas durante o ano, pré determinando a quantidade de produtos para cada época do ano. 
  • Movimentação: Registrar a entrada de cada peça, o local onde está armazenada no estoque e a sua saída ajudam a controlar o fluxo de estoque e a determinar a forma como será feita a reposição.
  • Tempo: Produtos estagnados no estoque significam capital parado, ou seja, um risco maior de perda para o seu negócio por avaria, desvalorização ou desvio de produto. 

Para manter um estoque saudável, é preciso estar por dentro de cada um desses itens e entender que o giro de estoque significa giro de capital. Portanto, uma boa gestão de estoque significa um bom fluxo de vendas e, dessa forma sinérgica, esses dois departamentos irão contribuir para o sucesso do negócio. 

Saiba mais sobre como organizar um estoque neste nosso artigo exclusivo.

Giro de estoque

Uma ferramenta para auxiliar o gestor na manutenção da saúde financeira do negócio é o giro de estoque, ele consiste em um indicador importante, que deve estar inserido no conhecimento de todo gestor de varejo que deseja estar por dentro da situação dos recursos disponíveis. Após o cálculo do giro de estoque, é possível identificar ameaças e dificuldades para que o estoque possa colaborar com o aumento nos lucros. 

Como calcular o giro de estoque?

Para calcular o giro de estoque é preciso determinar um período do fluxo de vendas, como por exemplo, 1 mês. Começamos determinando o valor de bens que estão no estoque no começo desse mês — por exemplo, se há 300 mil reais em produtos estocados e o fluxo de vendas é de 30 mil reais mensais, o giro do estoque é de 10 meses, pois vai demorar 10 meses para vender tudo. Nesse cálculo, o giro de estoque corresponde ao total do estoque dividido pelo volume mensal de vendas.

GIRO DE ESTOQUE = VALOR TOTAL DO ESTOQUE / VALOR MENSAL DE VENDAS

Mas 10 meses de estoque não é muito tempo? Está correto quem respondeu que sim. 

Como falamos anteriormente, quanto mais tempo seu produto passa estagnado no estoque, maior o risco de perda por inflação, avarias, vencimento, se tornar obsoleto porque saiu de moda, acabou a tendência ou o surgimento de um modelo mais novo. 

O ideal é que o seu estoque tenha uma autonomia de no máximo três meses. Apesar de não ser uma regra, em geral, três meses é o tempo ideal para que o produto não desvalorize e o estoque estará com volume suficiente para um aumento repentino na demanda, com tempo hábil de reposição dos seus fornecedores. 

É interessante que você estipule uma meta para o seu giro de estoque, passando a persegui-la na administração da sua loja.

Mas vale lembrar que, na sazonalidade das vendas — épocas onde o fluxo de vendas aumenta —, o seu estoque precisa receber um reforço. E claro, seu segmento e o tempo de entrega dos seus fornecedores também influenciam nessa decisão.

Como calcular o giro de estoque?

Uma estratégia importante para não ter muito prejuízo com produto encalhado é promover liquidações. Elas permitem o escoamento desses produtos com queda de saída e liberam espaço no estoque, já que cada centímetro deve estar disponível para o giro de capital.

Já que você está pronto para dominar os problemas de giro de estoque, que tal partir para novos desafios? Clique aqui e confira dicas para reduzir a quantidade de carrinhos abandonados nas lojas virtuais.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Assine nossa newsletter e receba nosso conteúdo em seu e-mail: